Image Map

04 dezembro 2014

#PRONTOFALEI SOBRE OS 48%, AMOR E RESPEITO

Todo mundo aqui leu a pesquisa onde 48% dos jovens entrevistados dizem achar errado mulher sair sozinha sem o namorado e mais um bando de absurdo machista? Ok, então vamos lá...

Posso encher a boca pra falar sobre pouca coisa nessa vida, mas sobre falta de respeito (e de amor, gente: a-mor!) comigo só por eu ser mulher eu tenho livros e mais livros pra escrever. Já tive namorado que me obrigou a trocar de roupa porque não queria outros caras me olhando, que me fez dar senha de Facebook, que fuxicou meu celular, que me proibiu de sair sozinha. Já até levei soco de bêbado porque não quis ficar com ele e fui enforcada e estapeada por um ex quando quis terminar o namoro.
Acho que nem preciso mencionar as cantadas ofensivas e os "agarrões" de bunda pelas festas da vida pra criar mais credibilidade no assunto. E sabe o que é pior? Mesmo depois de ter passado por tudo isso eu fazia parte dessa porcentagem citada na pesquisa. Achava erradíssimo sair sozinha tendo namorado, achava o cúmulo dançar rebolando até o chão e que era uma tremenda p*taria mulher chegar num cara. Eu já fui muito otária.

Quando um belo dia sentei a bunda na cadeira e me perguntei o porquê de eu permitir/concordar com tal abuso uma lâmpada se acendeu bem no topo da minha cabeça: eu não me bastava.
Explicando: o foco da minha vida era o "e foram felizes para sempre" à la Disney e eu aceitava coice como beijo pra não ficar sozinha. Eu realmente acreditava que meu valor só seria totalmente validado perante a sociedade (e a mim mesma) quando alguém colocasse um anel no meu dedo enquanto diz "até que a morte nos separe". Ou seja, eu era machista. Meu valor como pessoa só atingiria seu estado máximo quando um homem assim o fizesse por mim. Sério, que vontade de colar um adesivo escrito "loser" na testa da Soraya do passado! Sabe aquela frase que tomo mundo que tá deprê adora lançar por aí, a "a gente aceita o amor que acha que merece"? É isso. Ou pelo menos no meu caso foi isso. 
Tem mulher que se rebaixa por religião, porque acha cômodo não pensar por si só e quer alguém pra pagar as contas (nesse caso não julgo, é uma troca, imbecil ao meu ver mas ainda assim uma troca), por influência do meio (televisão, "formadores de opinião", família, etc) e tantas outras por outros mil motivos, mas acredito piamente que a maioria aceita essa palhaçada toda porque "boys will be boys", "aceita que dói menos" e acredita que chegar aos 40 anos solteira é sinônimo de fracasso na vida. Sendo assim, do meu ponto de vista, eu tenho que apontar o dedo acusador pros dois lados: tanto pros homens que objetificam e aprisionam as mulheres quanto para as mesmas, que tão precisando levar uma chacoalhada da vida como a que eu levei pra se tocarem que seu valor no mundo independe de outra pessoa (qualquer) ou da aprovação delas.

Uma nota importante: aquele que te pega cheio de promessas e joga fora no dia seguinte te objetifica tanto quanto aquele que te namora mas te trata como um pertence escolhendo suas roupas, companhia, dizendo onde você pode ou não ir e etc. Muita atenção aqui!

Mas olha a notícia boa: "otariazice" tem cura! Não sei te passar a receita corretinha, mas começa com a parte mais difícil e que aliás rende um post inteiro sobre o assunto, mas, num resumo, você tem que se encontrar, identificar quem você é de verdade e não quem você finge/tenta ser pensando no julgamento dos outros. Sabe aquele "aceita que dói menos"? Então, agora foca ele em ti! Aceite tanto suas qualidades quanto seus defeitos, sabendo quais podem melhorar (por você!) e onde não tem jeito, é o que é! Chegou até aqui? Beleza, agora joga isso pro mundo! Vá ser feliz, seja livre! 
Eu sou uma eterna romântica, isso é um fato. Porém hoje sou livre e por isso não corro atrás e nem deixo que corram, o lugar certo pra correr é ao lado. Eu já me sinto completa, não preciso de ninguém que o faça por mim, então se for pra ficar com alguém que esse alguém me transborde!

E onde os meninos dessa porcentagem louca entram nessa história? Não entram! Eles também precisam aprender a se bastar, porque fazer pouco de outra pessoa é uma tentativa falha e desesperada de se sentir melhor, eles também precisam deixar de ser machistas pra serem completos. Louco isso, né? Então se algum abusadinho achar que sua liberdade é brecha pra gracinha, sem ser mal educada mas com tom de voz imponente diga: "aqui não, bonitão!" e sai de perto mandando energia boa, de amor, porque essa pessoa com certeza precisa disso desesperadamente. 

Pra fechar esse meu texto/desabafo gigantesco, quero só repetir uma frase que escrevi no meu post sobre o assunto no Facebook. Se em algum momento alguém, qualquer pessoa que seja, falar que você não se dá o respeito, repita comigo:



OBS1: Se te ofendi com a parte do "otária", desculpa! Não digo ou acho de forma alguma que você seja uma por pensar diferente, isso é como eu me senti e não como vejo quem tem uma opinião oposta, afinal isso seria um julgamento e ninguém tem o direito de julgar ninguém. Só estou me expressando da forma que sei.

OBS2: Ser livre é uma coisa, pode ir pra cama com 50 caras por semana, é sua vida! Mas lembra que respeito é uma coisa recíproca e a gente só quer se igualar aos homens nas partes boas, mandar "papinho", fingir que tá afim quando não tá só pra se aproveitar é babaca independente se você é homem, mulher ou trans. Respeito não tem sexo.

Beijos,
        Sô!

16 comentários :

  1. Obrigada, mesmo, por esse texto, Soraya.
    Precisava ler tudinho. Tudinho mesmo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico MUITO feliz em saber disso! <3

      Excluir
  2. texto maravilho mulher
    mandando good vibes pro mundo
    :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cada um dá o que tem e eu só tenho amor! Espero poder contaminar mais gente com ele ;)

      Excluir
  3. FrasesDeRenato
    Há 2 horas ·
    "O amor verdadeira nunca vai te fazer sofrer, pois quem ama cuida, não magoa e nem decepciona... Não busque pessoas perfeitas porque não somos... Busque apenas pessoas que te valorizam." - Renato Russo

    ResponderExcluir
  4. Arrazou com esse post, me identifiquei demais porque também passei por situações parecidas e demorei a cair na real, acho muito legal você expor a sua opinião sobre isso dessa forma pois muita gente precisa de um empurrãzinho pra começar a se dar valor de verdade e não se deixar ser levada nessa dependência afetiva que muitas vezes a gente acaba desenvolvendo por medo de ficar sozinha!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada! Quero cada vez mais fazer posts assim, onde em troca da minha exposição eu esteja ajudando alguém a se sentir melhor consigo mesmo ;)

      Excluir
  5. Texto arrasador.. Falou tudo!! *aplaudindo*

    ResponderExcluir
  6. Arrasou! Parabéns pela iniciativa. Adoro seu blog mas amei ainda mais ver esse post com a sua opinião.. espero que venham mais por aí. Bjo bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Simmm! Vem muitos outros, como disse, eu me encontrei, me libertei e não tenho medo de julgamentos. Vou escrever bem mais o que der na cachola com intuito de ajudar os outros ;)

      Excluir
  7. tu é uma linda por dentro, por fora, por tudo!

    ResponderExcluir
  8. Uau, mandou muito bem neste texto. Tem opinião forte e com certeza muitas mulheres (e homens) vão se identificar com este post e de repente mudar seus conceitos machistas. Te dou meus parabéns mais sinceros. Já era tua fã, agora então, fã duas vezes! :D

    ResponderExcluir
  9. mandou muito bem. faça isso mais e mais vezes

    ResponderExcluir
  10. Nossa, parabéns pelo texto. Adoro o blog e gosto mais ainda quando leio coisas assim por aqui!

    ResponderExcluir
  11. Parabéns, incrível seu texto. É muito bom saber que essa otariazice tem cura. Preciso imprimir esse texto e espalhar para algumas amigas e primas sério hahaha

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...