Image Map

13 novembro 2013

Do M ao XG: Qual o tamanho de uma modelo plus size?

Eu escrevi este post inspirada na repercussão das fotos da modelo australiana plus size (como é intitulada) Robyn Lawley na campanha da sua nova marca de roupas de praia. O bafafá foi tão grande que até deu matéria para sites brasileiros, muitas mulheres se sentiram ofendidas de alguma forma e pra mim ficou a pergunta: qual o tamanho de uma modelo plus size?



Logo que vi as fotos também achei um absurdo esse ser o corpo de uma modelo plus size, o braço dela é tão fino quanto o meu (se não mais!) e a única coisa que ela tem é o quadril largo, ou seja: osso! 
Como não sou muito entendida no assunto resolvi fazer uma pesquisa rápida sobre algumas modelos plus size famosas... E foi aí que me perdi! Diferente das modelos que estamos acostumadas a ver nos editorias, os tamanhos de uma modelo plus variam incrivelmente:


Vendo essas fotos fica difícil dizer qual o tamanho de uma modelo plus size, afinal, vai desde uma mulher que perdendo 5 quilos seria tão magra quanto qualquer modelo que vemos pelas passarelas até os mais de 120 centímetros de cintura da Tess.

Vamos encarar a verdade, o "plus size" está gravado na nossa cabeça como sinônimo de gorda! Ninguém associa esse termo a uma mulher com uns quilinhos acima do peso, lembrando que o peso falado aqui é pensando na indústria da moda e não o da mulher comum, onde a figura da Robyn se encaixa muitíssimo bem. 
Dá pra entender porque tanta mulher se sentiu ofendida com esse caso! A gente sabe que ela não é seca como Gisele Bündchen (quantas pessoas no mundo são?) mas daí a chamar de plus size uma mulher de corpo mediano e aparentemente saudável é dar um tapa na cara da população feminina!

Mas e a diversidade, como fica? Ou é super magra ou é bem gorda? Não existe meio-termo? Acho que talvez seja esse o problema: a classificação. Deviam chamar só de modelo e ponto! Afinal, ficar insistindo na classificação e a usar em matérias de títulos chamativos é uma jogada de marketing maliciosa. Aliás, falando em marketing malicioso, ano passado essa mesma modelo foi o rosto da Boux Avenue, marca de lingerie gringa que causou frisson ao estrelar uma modelo plus. Minha implicância? Além do motivo óbvio de ela não ser lá tão plus ainda tascaram um bom photoshop por cima! Que 99,9% dos editorias,campanhas e afins tem photoshop não é nenhuma novidade, mas emagrecer alguém quando você está vendendo a imagem de uma mulher curvilínea é no mínimo uma palhaçada...


Resumindo: eu quero ver mais mulheres fora do "padrão modelete" como ela em campanhas de moda, mas sem essa também de "mulher real" ou qualquer outro mimimi pra vender! As mulheres vêm em todos os tamanhos e formas, um só padrão nunca vai representar todas e por isso essa coisa de "beleza real" também não cola comigo! Conheço tanto magrelas como gordinhas que são lindíssimas e são assim desde que nasceram sem nunca terem feito qualquer tipo de cirurgia plástica, a única coisa que tiraria o "real" da beleza delas na minha opinião.
Só sou contra a glorificação de extremos, como a magreza exagerada da Izabel Goulart e a obesidade da Tess Munster, elas até podem ser saudáveis, não sou a médica de nenhuma das duas pra contestar, mas a imagem, que influencia milhares de outras mulheres por aí, não é! 

Qual a opinião de vocês? A gente devia jogar todos esses termos no lixo ou eu só estou sendo uma chata implicante?

Beijos,
       Sô!

6 comentários :

  1. Nossa, adorei o post!
    Concordo totalmente com você. As mulheres são todas diferentes, não tem como padronizar. Esses termos só servem para exaltar o doentio padrão da beleza que é soberano no mundo da moda, deixar as mulheres neuróticas e vender mais de alguma coisa. haha Enfim, simplesmente adorei.

    Beijos, beijos.

    ResponderExcluir
  2. apoiado a diversidade, chega da ditadura de um corpo perfeito!! temos que parar de olhar para o corpo dos outros e olhar para nossos próprios, e gostar deles assim como eles são.Não a pessoas perfeitas e sim a pessoas exóticas.

    http://lovelyspootnick.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Também não engulo esse papo de "beleza real" (que agora me parece que virou moda no mundo marketeiro), que na minha humilde concepção é a soma de duas coisas: eufemismo-vaselina brabíssimo e uma possível mudança de estratégia do mundo da moda, já que a obesidade já virou pandemia. Tá, essa é a parte mais séria da questão...

    ...Porém, fica acordado que "padrão passarela" é, sempre foi desde que o mundo é mundo, quase inatingível para 99,7% das mulheres. Me usando como exemplo: hoje estou 10kg acima do meu peso (meço 1,74m e peso 73kg), mas NUNCA, nem quando eu era magéééééééérrima e pesava 55kg (há 3 anos) conseguia entrar numa calça 40/38. Sou brasileira, tenho coxas grossas, bumbum grande e quadril largo! Ainda que eu emagreça o mundo, meus ossos continuarão largos e sem entrar numa roupa de manequim 'magro'. E agora riam da minha via crucis: estou vestindo no momento 46, and guess what? não encontro roupas para o meu manequim sem ser plus-size! Meio absurdo essa categorização tosca não? Não me sinto "mais gorda" por usar roupas plus-size (só triste porque é MUITO difícil encontrar peças interessantes em tamanhos grandes...são sempre monótonas, quando não exdrúxulas ou breguééésimas), só acho ridículo eu e a Tess Muster dividindo guarda roupa rs.


    Cereja do bolo: Vi um vestido DIVO de tricot rústico pintado de um tom de cobre beeeeem rosé na Maria Filó, pelo qual me apaixonei profundamente e estava disposta a pagar uma pequena fortuna para usá-lo em meu casamento civil. Entrei, pedi para experimentar o maior tamanho dele ao que a vendedora me olhou com carinha de piedade dizendo "o maior é G". Na maior educação da galáxia, perguntei qual manequim correspondia ao G da Maria Filó... qual não foi minha surpresa ao ouvir "nhá, nosso G veste 42". GENCHY, QUE ANO É HOJE??? DESDE QUANDO 42 É G????

    É isso, acabou o protesto indignado hahaha.

    A-M-E-I o post Sô! E bom, não custa né, se você souber de lojas bapho para gordinhas, seria muitíssimo grata por um post com dicas hehehe;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei interessante que quando minha mãe viu essa notícia ela não achou nada demais, porque na visão de médica dela, ela entendeu por plus size a altura e largura dos ossos da mulher, nada relacionado a peso! Talvez seja essa a definição: pessoa de estrutura larga, seja por osso ou gordura (só que a gente não vê sendo divulgado dessa forma!).

      Vou dar uma pesquisada em lojas legais que tenham tamanhos maiores! Já conversei com um pessoal que trabalhava com esse mercado e até tem blog sobre isso, assim que tiver reunido material o suficiente posto aqui ;)

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...